Green Kitchen

Uma cozinha auto-suficiente? Pode não o ser a 100%, mas está no bom caminho. A ideia é da Whirlpool, num projecto a que chama Green Kitchen, um protótipo que chega ao mercado já em 2010.

 

No entanto, apesar de o sistema Green Kitchen ter sido agora apresentado, a sua chegada ao mercado está prevista apenas para 2010. A explicação para este desfasamento é dada por Ezio Manzini, professor de Design no Politécnico de Milão e membro do painel de oradores nesta apresentação: “Vivemos uma lógica de mercado e de produção que privilegia o produto em vez de sistemas completos. Isso faz com que o processo de concepção e de produção destes projectos seja demorado.”

Os atributos do Green Kitchen incluem a reciclagem de energia – por exemplo, usar o calor produzido pelo compressor do frigorífico para aquecer a água para lavar a loiça – e o tratamento de águas – a água fria é acumulada num tanque e tratada para que possa ser reutilizada (por exemplo, para lavar o chão ou mesmo na máquina de lavar).

E tudo isto se passa no interior dos módulos que compõem esta cozinha, longe dos nossos olhares, o que garante a qualidade estética. Uma boa forma de aproximar os consumidores da cozinha, numa era em que cada vez passamos menos tempo em casa, mas em que, paradoxalmente, nos sentimos mais próximos de tudo o que diz respeito à arte de cozinhar e de viver esta área da casa.

Redução para poupar
A cozinha Green Kitchen ajuda os consumidores a reduzir a conta de electricidade. Eis as vertentes em que se verifica a poupança:
Produtos – 16%
Poupança no consumo de energia dos electrodomésticos, graças à tecnologia de ponta.
Ecossistema – 24%
Poupança de energia resultante de uma cozinha concebida para adaptar, reduzir e reciclar água, calor e energia.
Comportamento – 10%
Poupança que a Whirlpool afirma que decorre da alteração de comportamento dos consumidores, através do estímulo a uma cultura de sustentabilidade.

Inovação
Os electrodomésticos presentes no sistema Green Kitchen apresentam novas funcionalidades, criadas para simplificar o uso e facilitar a poupança (um dos pontos fortes deste sistema).
Frigorífico – Uma gaveta de frio impede que o ar frio se perca ao abrir a porta do frigorífico, reduzindo em 50% a energia necessária para restabelecer a temperatura.
Armazenamento – Um espaço dedicado ao armazenamento de vegetais e frutas, a baixa temperatura, faz com que possamos abdicar de os colocar no frigorífico.
“Jardim” – Uma pequena estufa na parte superior da cozinha permite cultivar ervas aromáticas, para uso doméstico.

 

 

  1. No trackbacks yet.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: