Posts Tagged ‘ Design ’

Cores e decoração

Vermelho: Cor do fogo e do sangue. Cria ambientes ousados, quentes e íntimos. Produz um efeito muito estimulante, pelo que convém usar com moderação em casas frequentadas por pessoas nervosas. Recomendada para salas.

Laranja: Cor do Sol nascente e do crepúsculo. É uma cor enérgica, que estimula o convívio. Muito apropriada para salas, ou, muito moderadamente, nos quartos.

Amarelo: Cor da luz do Sol e do brilho do ouro. É ideal para divisões escuras e pequenas, pois, com alguns toques de branco, irá iluminar e ampliá-las. Estimula a concentração.

Verde: Cor da Natureza, calmante e refrescante. É uma cor auspiciosa, e que potencia as nossas qualidades. Representa o crescimento. Muito adequada em qualquer divisão da casa.

Azul: É uma cor tranquilizadora, muito benéfica para quartos. As suas vibrações ajudam-nos a purificar quando estivemos num ambiente negativo.

Violeta: Cor mística e nostálgica. É a cor mais profunda e silenciosa do espectro. Favorece a meditação. O seu uso excessivo pode tornar-nos melancólicos.

Rosa: É uma cor romântica e sensual. Protege-nos dos nossos receios e ajuda-nos a progredir na vida afectiva.

Cinzento: Cor da névoa e das cinzas. Tem algum efeito depressivo sobre a saúde, excepto se usado em pequenos pontos, para suavizar ambientes com cores muito quentes.

Branco: Neutro. Amplia o espaço e reflecte a luz. Cor da pureza. Harmoniza ambientes. Adequado para qualquer divisão da casa.

Preto: Símbolo das trevas. Ajuda eficaz quando queremos esquecer um desgosto, no entanto, é preferível utilizar com muita moderação, em pequenos pormenores.

{Hello! Lucky}

Convites de casamentos simples, bonitos e elegantes. Estes são da Hello! Lucky.

A hora de almoço num centro comercial dá para muita coisa. Dá para fazer as compras do mês, dá para passar os olhos pelo que está na moda, dá para ser borrifado com 15 perfumes diferentes. Dá até para dar asas ao criador que há dentro de cada um de nós e fazer, por exemplo, uns chinelos ao gosto do pezinho. Foi a pensar nisso que a brasileira Havaianas se voltou a instalar no El Corte Inglés, que o Verão está a caminho e há que ter um par de cada cor.

Uma contagem rápida detecta mais de 50 modelos diferentes nos expositores. Mas o que faz encher este pequeno corner (que está ali pelo segundo ano consecutivo) é a possibilidade de levar para casa uma havaiana personalizada, feita na hora com as cores de eleição (por mais duvidosa que a combinação resulte, que nisto dos gostos não há que interferir). Escolhe- -se a cor da sola entre 16 possíveis (11€), depois as tiras (as normais custam 3,5€, as metalizadas 5,90€), e no final abrilhanta-se a obra com um pin em forma de estrela, flor, caveira, trevo, coração e por aí fora (há sempre um de oferta, os restantes custam 1,50€).

“As pessoas estão a aderir por ser uma coisa diferente, por poderem fazer as suas havaianas da forma que querem. Preferem criar os seus modelos”, explica Juliana, a menina que constrói uma havaiana em menos de nada, à vista de toda a gente. Por ser brasileira acha graça ao facto de os chinelos de borracha se terem tornado um sucesso por cá: “acho que é por terem um design diferente e serem muito confortáveis.” E porque um pouco de história nunca fez mal a ninguém, aproveitamos para explicar que as primeiras Havaianas nasceram no Brasil há 45 anos, inspiradas nas sandálias de dedo japonesas. A grande inovação foi a borracha, um produto natural, 100% nacional (do Brasil), durável, maleável e, a parte que mais interessa, barato. Posto isto, tem até Setembro para criar umas havaianas que só encontrará em pés que tiverem um gosto igualmente original.

Havaianas, El Corte Inglés (semi cave, junto ao Clube del Gourmet)

CCB Design Shop

Na Sexta-feira fiz ponte e passei o dia com o meu amor; almoçámos no Samurai, por trás da rua do embaixador, e depois fomos passear até ao CCB, onde vimos algumas exposições interessantes, sendo a que mais gostei uma exposição fotográfica sobre os emigrantes portugueses em França. Além de nos termos divertido imenso juntos, ainda saímos de lá com um pin vermelho muito giro e não pagámos nada. Ainda dizem que a cultura é para pessoas que podem pagar por ela … o CCB está realmente de parabéns nesse aspecto.

Mas não é das exposições do CCB que venho aqui falar, embora recomende vivamente uma visita; venho falar da loja CCB Design Shop, que tem artigos giríssimos, desde bijuteria até loiças lindas, sacos originais e artigos de decoração fora do comum, e ainda utensílios de cozinha originalíssimos como raspadores em forma de boneca, pimenteiros que são pequenas índias ou saleiros que são sempre-em-pés.

Design contemporâneo de criadores nacionais e internacionais assinam relógios, malas, acessórios, bijutaria, iluminação, entre uma imensa diversidade de produtos.

Destacam-se os portugueses Pedro Silva Dias, Eduardo Sotto Moura, Paulo Ramuni, Luisa Peixoto, Susana Barbosa, Arlindo Quelho, Catarina Fernandes, Luisa Martins, Teresa Roriz, Margarida Valente, Helena e Teresa Jané, José António Tenente, Sandra Guerreiro, Anna Westerlund, Patricia Brizido, Elza pereira, Liliana Lé, Estados de Alma, Egolab, Telabags, Serrote, Oficina Recreativa, Krv Kurva Design, Cerâmicas S. Bernardo, Ratton, DesignWise, Sátira, Design 98, Miguel Rios Design e Colar de Contas, entre outros. 

E os internacionais Umbra, Koziol, Boom Design, Esteban, ASA, Tepper Jackson, Eva Solo, Creativando, Kahla, Sent, Growing Veip, Mono Design, Outlook Zelco, Millefiori, Zak Design, Selleti, Piacenza, Virages, Handed By, Pylones, entre outros.

Aberta ao público desde 1997, a Loja CCB tem vindo gradualmente a desenvolver e comercializar novos e diferentes produtos onde a originalidade é subjacente a todo o conceito.

{My Garden}

A designer Ah-Yi desenhou desta vez a série MY GARDEN, tão zen que até nos aquece a alma apenas de olhar. Disponível nas lojas Etsy, são um sopro de frescura primaveril :-)

Caroline Gardner

Ok, eu até admito que tenho uma queda para padrões florais ou black & white; cores vivas e alegres, ou monocromáticos elegantes e subtis. Hoje encontrei a Caroline Gardner, criadora de designs lindos aplicados em capas, sacos de papel, cartões, papel de embrulho, etc.

 

PC “guardanapo”

Há coisas que não posso mesmo deixar de mencionar, e o Napkin PC é uma delas. Pensado e criado com base na mania de muitas pessoas (especialmente os criativos) fazer desenhos e esquemas em guardanapos de papel enquanto comem, o Napkin PC tem a forma exacta de um guardanapo, mas é na verdade uma “mini-mesa” de design onde pode desenhar, escrever, criar, e tudo o mais que se possa fazer com uma caneta. Além disso, é portátil e requer pouquíssima energia, sendo amigo do ambiente; é ainda reciclável e pode usá-lo várias vezes. Quando pensamos que já se inventou tudo … surprise! Designer: Avery Holleman

 

Para os esquecidinhos …

Design: Meng Fandi

 

Com esta invenção (que ganhou um prémio de melhor conceito 2008) de Meng Fandi, os esquecidos deste mundo poderão agora dar aso à teoria no laço atado no dedo, mas muito mais high tech!

Vivi muitos anos em Lisboa, com os meus avós, e uma das paixões da minha avózinha são passarinhos. Por isso, levava horas a tratar dos que tinha a colocar caixinhas com sementes na janela e em todos os parapeitos, pois sabia que tinha “fregueses” diários que iam almoçar e jantar àquela varanda do nosso 2º esquerdo. Por isso, não podia deixar de achar amorosa, e ao mesmo tempo moderna, esta casinha “ovo” para alimentar passarinhos. Designer: J. Schatz

 

Design: reutilizável

A gastronomia japonesa é óptima para quem adora refeições leves e sabores diferentes; além disso, actualmente em Portugal parece estar na moda. Já se veêm workshops para aprender a fazer sushi, e eu mesma tenho um livro sobre cozinha japonesa. E se a toda esta atitude zen aliássemos um gesto amigo do ambiente? Foi essa a ideia de Keagan McCurdy.