Posts Tagged ‘ verde ’

Green Kitchen

Uma cozinha auto-suficiente? Pode não o ser a 100%, mas está no bom caminho. A ideia é da Whirlpool, num projecto a que chama Green Kitchen, um protótipo que chega ao mercado já em 2010.

 

No entanto, apesar de o sistema Green Kitchen ter sido agora apresentado, a sua chegada ao mercado está prevista apenas para 2010. A explicação para este desfasamento é dada por Ezio Manzini, professor de Design no Politécnico de Milão e membro do painel de oradores nesta apresentação: “Vivemos uma lógica de mercado e de produção que privilegia o produto em vez de sistemas completos. Isso faz com que o processo de concepção e de produção destes projectos seja demorado.”

Os atributos do Green Kitchen incluem a reciclagem de energia – por exemplo, usar o calor produzido pelo compressor do frigorífico para aquecer a água para lavar a loiça – e o tratamento de águas – a água fria é acumulada num tanque e tratada para que possa ser reutilizada (por exemplo, para lavar o chão ou mesmo na máquina de lavar).

E tudo isto se passa no interior dos módulos que compõem esta cozinha, longe dos nossos olhares, o que garante a qualidade estética. Uma boa forma de aproximar os consumidores da cozinha, numa era em que cada vez passamos menos tempo em casa, mas em que, paradoxalmente, nos sentimos mais próximos de tudo o que diz respeito à arte de cozinhar e de viver esta área da casa.

Redução para poupar
A cozinha Green Kitchen ajuda os consumidores a reduzir a conta de electricidade. Eis as vertentes em que se verifica a poupança:
Produtos – 16%
Poupança no consumo de energia dos electrodomésticos, graças à tecnologia de ponta.
Ecossistema – 24%
Poupança de energia resultante de uma cozinha concebida para adaptar, reduzir e reciclar água, calor e energia.
Comportamento – 10%
Poupança que a Whirlpool afirma que decorre da alteração de comportamento dos consumidores, através do estímulo a uma cultura de sustentabilidade.

Inovação
Os electrodomésticos presentes no sistema Green Kitchen apresentam novas funcionalidades, criadas para simplificar o uso e facilitar a poupança (um dos pontos fortes deste sistema).
Frigorífico – Uma gaveta de frio impede que o ar frio se perca ao abrir a porta do frigorífico, reduzindo em 50% a energia necessária para restabelecer a temperatura.
Armazenamento – Um espaço dedicado ao armazenamento de vegetais e frutas, a baixa temperatura, faz com que possamos abdicar de os colocar no frigorífico.
“Jardim” – Uma pequena estufa na parte superior da cozinha permite cultivar ervas aromáticas, para uso doméstico.

 

 

Advertisements

Café Verde

Café verde, a bebida mais consumida do mundo inteiro:  estimulante, diurético e antioxidante, o café pode também estimular a termogénese e a oxidação da gordura.
O café é um arbusto lenhoso originário da Abissínia, região a norte da actual Etiópia, amplamente cultivado em vários países tropicais como o Brasil, a Colômbia e o Vietname, devido à sua importância económica. A planta, que atinge os 3,5 metros de altura, é composta por um caule erecto e delgado, folhas verde-escuras, perenes e oposto-lanceoladas, pequenas flores estreladas de cor branca, e frutos sob a forma de bagas vermelhas contendo cada um duas sementes, os grãos que depois de torrados e moídos, utilizamos para a preparação do café.

O café é, hoje em dia, a bebida sem álcool mais consumida e apreciada no mundo. Por exemplo, na Turquia, país onde as mulheres não gozam dos mesmos direitos que os homens, o seu consumo é de tal forma importante que chegou a ser motivo legal de divórcio: as mulheres podiam pedir o divórcio caso o marido não fosse capaz de prover o fornecimento de café.

Combate o sono e o excesso de gordura

A semente de Coffea arabica é a parte mais utilizada da planta. O grão de café não torrado, ou café verde, possui, entre outros constituintes, 0,06-0,32 por cento de cafeína (estimulante forte), teobromina e teofilina (relaxante da musculatura lisa), taninos e flavonóides (antioxidantes), e 5 a 10 por cento de ácido clorogénico. Sendo a cafeína o único composto que permanece estável durante o processo de torrefacção.

De relevante importância terapêutica são a cafeína e o ácido clorogénico. A primeira substância actua, inibindo os efeitos da adenosina, neurotransmissor responsável pela indução do sono, e estimulando a atenção. A cafeína é ainda eficaz a estimular um processo chamado termogénese (gasto energético de calorias durante e logo após o processo de alimentação, e que pode corresponder a 15 por cento dos gastos calóricos diários) bem como a promover a oxidação de gorduras corporais, facilitando a sua eliminação.

O ácido clorogénico, por sua vez, em maior percentagem no café verde que no grão torrado, influencia o estado de humor das pessoas, impedindo sentimentos apáticos e de depressão, e contribuindo, consequentemente, para evitar a utilização de álcool e de algumas drogas. Tem ainda a capacidade de reduzir a absorção dos hidratos de carbono consumidos pelo organismo, minimizando a sua acumulação nos tecidos sob a forma de gordura, e actuando positivamente sobre os níveis da glicose no sangue. Estas duas substâncias são assim frequentemente utilizadas como ingredientes em muitas fórmulas que visam a produção de energia e o emagrecimento corporal.

Segundo os herbalistas, o café funciona, a curto prazo, como um bom estimulante, contudo, o seu uso prolongado poderá estar associado ao enfraquecer da vitalidade. Na verdade, pessoas mais sensíveis à cafeína experimentam sintomas de tensão, ansiedade e temores logo após a ingestão da substância, e doses exageradas provocam habituação, prejudicam o estômago, causam insónia e tensão arterial elevada, podendo ainda aumentar a eliminação de cálcio na urina. É, portanto, contra-indicado a pessoas que sofram de tensão arterial elevada, com tendência para o nervosismo, hipertiroidismo, gastrite crónica, úlceras gastroduodenais, problemas hepáticos e reumáticos. Também é desaconselhado a crianças, principalmente no caso de sofrerem de hiperactividade.

Para além da bebida que vulgarmente conhecemos como café, as outras formas de uso desta planta, no que respeita à fitoterapia, incluem a decocção de café verde (5-7 g por litro de água: 2 chávenas por dia), o xarope e a tintura (diluição de 1:5), ambos de aplicação tópica. A ingestão de cafeína diária não deve ser superior a 400 mg.

Casar a verde & amarelo

Um dos mais importantes aspectos das cerimónias de casamento é, pelo menos do ponto de vista feminino, o sentimento transmitido aos convidados. E penso que é de opinião geral que esse sentimento deve ser de harmonia e alegria.

Assim sendo, aqui ficam algumas sugestões que podem resultar em excelentes ideias para decorar e fazer sobressair o “bom feeling” de um dia tão importante como o dia do nosso casamento :) Especial atenção para o genial E original conceito do bolo da boda!!

 

Via: Style Me Pretty

Green green green …

Uma alimentação equilibrada é um bem essencial: faz bem ao corpo, à saúde, à forma e à mente. E há muitas alimentações que podem ser equilbradas dentro do seu género, como por exemplo, a alimentação vegetariana. Descobri este site com receitas fabulosas, Fatfree Vegan Kitchen … não custa espreitar :-)

Feeling green & blue today …

… tudo Etsy Shop.

Gelado de Margarita

 

Gelado de Margaritas … a receita, para quem quiser experimentar =D se for bom, avisem!

 

Linda de morrer! Esta vi no site da Accessorize … se alguém souber onde encontrar esta mala aqui em Portugal, avisem-me. Na loja de Cascais não há :(